Select Page
Compartilhe: Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0

Sashimis costumam ser um dos pratos mais apreciados pelos amantes da comida japonesa. A preparação até que é simples num primeiro olhar, mas envolve alguns rituais e dicas para aproveitar ao máximo o sabor e a textura de cada peixe.

Por isso, no post de hoje, vamos oferecer dicas preciosas sobre o que você deve observar na hora de preparar sashimi. Imperdível!

O que é sashimi?

Basicamente uma carne crua, fatiada e servida. O sashimi pode ser de carne vermelha, frango ou outros tipos de animais, mas o preparo mais popular é à base de frutos do mar e peixes.

No Brasil e em grande parte do mundo, o mais popular é o de salmão, embora no Japão a preferência seja servir o peixe cozido no sal.

Quais são as dicas para prepará-lo?

 

1. Tudo começa com a qualidade do peixe

A nossa primeira dica na hora de preparar sashimi é escolher (muito bem!) o peixe a ser usado. É preciso conhecer a fundo os cortes para evitar dores de cabeça. Inclusive, existem peixes venenosos que, quando cortados da forma errada, podem até matar. É o caso do Fugu (Baiacu ou Blowfish).

Para preparar sashimi sem susto, recomendamos, em primeiro lugar, uma ótima peixaria. As dicas para reconhecer um peixe fresco são: barriga firme ao toque, pele brilhante, escamas firmes, olhos brilhando, cheiro de maresia.

2. Os diferentes cortes para preparar sashimi

Não é coincidência o Japão ter as melhores facas do mundo. Como prova do extremo cuidado no preparo dos alimentos, eles levam muito a sério o assunto. Se você escolheu um peixe inteiro, vai precisar preparar o filé e tirar a pele (no caso do salmão, aproveite para fazer salmão skin!).

Depois de limpo e já na tábua, começa a parte interessante: o corte. São vários os que os chefs de culinária japonesa dominam, mas você, na verdade, só precisa conhecer os dois mais básicos:

  • Hira-zukuri: corte retangular, o mais comum de todos. O corte é feito do lado direito do filé, da base à ponta da faca, em um só movimento. Esse corte é legal para filés entre 0,5 ou mais de 1 cm de espessura e é normalmente usado para salmão e atum.
  • Usu-zukuri: o corte em fatias finas. Feito do lado esquerdo do filé, e a faca segue em diagonal, quase na horizontal, atravessando as fibras da carne. O resultado são fatias fininhas, perfeito para peixes firmes e brancos.

3. A etiqueta do sashimi

E, por mais que a tentação seja grande, é preciso presar atenção à etiqueta na hora de consumir o sashimi. Exemplos:

  • Só coloque no seu pote a quantidade certa de molho de soja;
  • Uma das grandes controvérsias diz respeito ao wasabi (raiz forte). Embora muitos japoneses façam questão de manter ambos separados, hoje em dia é possível achar pessoas que misturem os dois. Na verdade, cada tipo de peixe requer uma quantidade de wasabi;
  • Perfumes e colônias muito fortes não costumam ser legais na hora de se deliciar com sashimis. A razão é simples: os gostos são tão delicados que um cheiro mais forte pode afetar o paladar na hora de aproveitar a iguaria que você teve tanto trabalho para preparar.

4. Harmonizando com um bom sakê

A experiência só é completa quando podemos preparar sashimi e consumi-lo com um bom sakê, certo? Então seguem as nossas dicas para harmonizar comida e bebida com perfeição!:

Ficou com água na boca? Para sempre receber dicas e postagens sobre o universo dos sakês e da cultura japonesa, não deixe de curtir nossa página no Facebook!

Compartilhe: Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0